Festa de casamento pra quê?

Organizando Meu Casamento - Papo de Noiva - Festa de casamento pra que

Se você é noiva já deve ter ouvido essa frase: Festa de casamento pra quê? Você vai gastar dinheiro para as pessoas comerem, beberem e saírem falando mal.

HUNF…

Essas pessoas, que certamente dormem em cima dos seus valorizados reais $, entendem o dinheiro como o fim e não um meio para o que realmente importa.

Já falou sobre o SEU casamento com alguém assim? É BROXANTE.

Vejo diversas noivas desanimarem de comemorar o casório por não sentirem ânimo ou boa vontade da parte dos convidados…  Calma. Cada coisa tem o seu papel e importância: o cartório oficializa, a igreja abençoa e na festa você comemora!

Muita gente acha um absurdo dar uma festa para comemorar com o outro – seus amigos e familiares – e não ficar com todo aquele dinheiro para si, como se todas as dívidas da sua vida fossem ser resolvidas com o investimento da festa. Pois é, eles também se enganam nesse ponto. A não ser que você desista de tudo e vá morar em alguma ilha, sempre há e sempre haverá contas. A comemoração é apenas o primeiro desafio financeiro que o casal assume. O primeiro de tantos outros em suas vidas e o que deixará o sentimento de que tudo vale a pena juntos quando houver qualquer desafio.

Mas por que será que há esse desdém? Será que as inimigas estão com dor de cotovelo? Pode até ser, mas minha teoria é que muitas pessoas simplesmente não tem mais fé. Fé no próximo, no amor, em um caminho percorrido a dois com compromisso, amor e responsabilidade.  Estão achando difícil dar o melhor de si para o outro… basta olhar para o lado e veremos isso.  As pessoas querem guardar o seu melhor pra si mesmo… para olhar, exibir, mas não pra dar.

Então, nós noivas temos dois caminhos. O primeiro, mais fácil e econômico, é uma maneira da pessoa que está tão preocupada em economizar dinheiro te ajudar a guardar o seu,  que é não convidar essas pessoas. Vamos lá, o país está em crise e não está fácil pra ninguém. É difícil desapegar do dinheiro e se arriscar, querer VIVER. Não é mesmo?

O segundo, que é mais complicado e vai exigir ainda mais força da sua parte,  é convidar a pessoa mesmo assim, fazer com que ela perceba o casamento como você: com o paladar, tato, olfato, audição, visão e  sexto sentido. Quem sabe, desse dia em diante, ela consiga sentir mais, se emocionar. Chame-a em um canto, conte como você está feliz naquele dia, como ela é importante. Quem sabe você planta uma sementinha ali?!

Nós, noivos e noivas, que determinamos qual a energia e o sentimento que estarão presentes no nosso grande dia. Não o dinheiro, tamanho da festa  ou quantidade de convidados.

Comemore SIM, é uma nova fase e merece ser compartilhada com as pessoas que você ama (sejam 20 ou 400 amigos), que podem pensar como você ou não.

Bom, mesmo sem saber se vai convidá-los, caso tenha alguma intimidade, você sempre poderá dizer, com gentileza: Por favor, não seja broxante!

Quer se casar como uma princesa? Ela transformou o sonho em realidade.

Elaine Crisóstomo

Noiva, ama comida, filmes e viagens. Faz visitas sazonais a academia, formada em relações públicas e especialista em marketing.