Curso de noivas da igreja católica

Quem vai se casar na igreja católica sabe bem que uma hora ou outra precisará fazer o curso de noivos. Minha hora chegou e fomos fazer o nosso.

A duração e conteúdo variam de uma paróquia para outra. Na que eu vou me casar, por exemplo, são 5 sábados de curso. Sei que há igrejas em que ele tem duração de um sábado só. A que eu fiz durou um dia e meio (você não precisa necessariamente fazer na paróquia em que vai se casar), começando sábado das 14 às 17h, voltando das 19 às 22h e depois no domingo das 08 às 12h.



Meu pensamento, sinceramente, era de que o curso não era necessário e fui com muita, mas MUITA preguiça. E ela só aumentou a medida em que os casais apresentavam o cronograma do curso. Eu pensava comigo: por quê? Por que eu?

Tá gente, eu sei que é feio… mas a verdade é essa.

O curso começou e o meu primeiro pré-conceito foi quebrado, que era a respeito da linguagem usada pra falar com noivos. Eu esperava aquela coisa chata, maçante e que desse sono. Erro meu. Os casais e equipistas sabiam exatamente como falar com aqueles quase casados e deram o ânimo necessário para gente “encarar” as horas de curso.

Rompida essa barreira, comecei a não apenas me acostumar com a ideia, mas também a gostar de estar ali (quem diria!!!).

Lá, eu fiquei sabendo detalhes do processo do casamento civil e que a retirada de algum nome de solteira (não estou falando sobre colocar o nome do seu noivo) pode dificultar alguns processos no futuro (pretendo fazer um post apenas sobre isso depois).

Conversamos sobre as situações delicadas que um casal pode passar, nas quais a fé e amigos farão grande diferença.

Sobre o método contraceptivo Billings, indicado pela igreja católica.

Participamos de uma missa, na qual ganhamos a nossa primeira bíblia como um casal.



Esclarecemos dúvidas sobre economia doméstica e expectativas dos casais em relação a dinheiro (essa aqui todo mundo, mas todo mundo tem que ver) – empréstimos, despesas, investimentos e endividamento e exatamente como isso impacta na vida a dois.

E finalizamos com o papel da fé na vida dos noivos, como colocar as orações em nossas rotinas para abrir os nossos corações e mentes, em nome de uma boa convivência e construção de uma família.

Falando assim até parece um pouco piegas, eu sei. Mas eu recomendo que caso você vá fazer esse curso, mesmo que seja de outra religião ou de religião alguma (como havia casos na sala) vá de coração aberto, pois é uma experiência emocionante.

Sinceramente eu fiquei encantada e senti que saímos ainda mais fortes e unidos do curso. Ele reforça o real motivo do dia do casamento e da vida de casados.

Conheço pessoas que não tiveram uma experiência tão boa quanto a minha pelo palestrante falar isso ou aquilo que eles não gostaram ou discordam. Isso é absolutamente normal e pode acontecer mesmo. Mas não se apegue ao que você considera errado. Atente-se que é um momento de preparação e por você querer que essa relação dê certo está investindo nela o seu tempo e coração. Todos nós estamos acostumados a fazer cursos, coaching e tudo mais para manter um emprego, por exemplo, que é uma coisa muito passageira. Que tal também estudar e se dedicar a vida a dois? Só depende de vocês!

Um agradecimento especial para os palestrantes da Paróquia São Judas Tadeu e São Dimas de Bauru, que ministraram o nosso curso.

Gostou? Então você vai curtir ver a nossa Lista de convites DIY.

Facebook | Instagram | Canal Youtube | Twitter

Whatsapp - 700x140


Elaine Crisóstomo

Noiva, ama comida, filmes e viagens. Faz visitas sazonais a academia, formada em relações públicas e especialista em marketing.